quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Não podemos desperdiçar...


Caros colegas, o titulo do post é enganador, pois não vamos falar em "apertar o cinto" ou algo do género!!

Não podemos é desperdiçar tanto buraco na nossa Vila, vamos fazer de Celorico de Basto o maior campo de Golfe de Portugal, em vez dos 18 buracos do campo da Quinta da Deveza em Amarante, ou da deslocação a Rilhadas - Fafe, vamos praticar nas centenas de buracos que temos nos caminhos e passeios de Celorico (não esquecer acessórios essenciais, galochas, capacete, etc.)!!!

PS: Não convém é fazer pontaria ao buraco da Câmara, são bolas perdidas, tal a dimensão do mesmo!!
Quem não gostar de Golfe, pode sempre fazer trocadilhos sobre Buracos e Queijo...

11 comentários:

joca disse...

looooooooooooool...
é realmente inacreditável ver obras com meses, serem completamente rebentadas, remendadas, etc.

os génios camarários deviam ser distinguidos, pois o mérito é enorme, arqueológicamente falando, transformam estradas com meses em autênticos caminhos pré-históricos!!

Anónimo disse...

Neste Blog também se pode dizer bem ou é só para bota abaixo?

anticarneirinhos disse...

Caro Anónimo, quer ler contos de fada?

Então procure no pasquim autárquico, em www.noticiasdebasto.com!!!
Sim, nesse local só escrevem bem de tudo, pena é ser sempre dos mesmos....

Como diz na descrição do blogue, "Espaço de debate e opinião, livre e a aberto a todos que nele queiram participar!", não quer participar, abstenha-se!

Anónimo disse...

Por falar em poupar, li por aí que estiveram 2500 pessoas a almoçar no Comício do PS. No mínimo a 10 euros por cabeça, mais aluguer de tenda e som dá uma boa maquia. Também ouvi dizer que restaurantes de Celorico não quiseram servir, anda por aí muita investigação...

Anónimo disse...

Isto de fazer uma obra, desfazer por um motivo qualquer que à data não era importante!!!, e refazer uma determinada obra, tem uma explicação válida...
Em tempos de crise utiliza-se esta técnica de gestão que visa criar uma dinâmica de negócio e assim estimular o mercado local/regional alavancado na construção civil.

Anónimo disse...

Ora boas,

Pois é, é só buracos. Semelhante ou parecido com aquele que o SR António da grelha levou no jantar do PS hehehe

Estavam 2500 pessoas... disseram.. tinham prometido 2000,o jornal de cabeceiras diz que estavam 3000 e Ao gajo da Grelha pagaram 1600 pra ele não se chatear muito, e ficar a lucrar 400 almoços.. lolol

Tadinhos.. está tudo esburacado.. a a na cabeça de alguns é que se deve estar a fazer um grande buraco.. lolol

Carlos Leite disse...

Meus Caros:
Reparem bem no conteúdo do post, na forma imprudente com que se brinca com um caso sério, deste modo será difícil a blogosfera ter credibilidade.
Há um problema claro na manutenção das estradas e espaço publico, isso resolver-se-á um dia, é bom terem apontado o problema, agora a forma como a apontam…será que é benéfico para alguém… Sejamos nós actores dinamizadores desta região, apresentando ideias, alertando para eventuais erros e descuidos, mas nunca de forma a ridicularizar tudo e todos.
“O homem é mais homem, pelas coisas que cala que pelas coisas que diz”
Albert Camus

Joana Teixeira (não, não tenho medo de represálias --') disse...

Sejamos nós actores dinamizadores desta região, apresentando ideias, alertando para eventuais erros e descuidos, mas nunca de forma a ridicularizar tudo e todos.

Ridicularizar?! Mas afinal não é isso que a família Mota e Silva tem feito estes anos todos ao povo Celoricense?! Desde despedimentos de pessoas que pertencem a partidos que não o social democrata a ameaças no próprio dias das eleições! (E sim, EU SEI QUE ISTO ACONTECE, EU PRESENCIEI, EU VI! PORQUE É QUE TODOS SE CALAM? Cambada de cobardes!)
Mas o que se passa com esta população? Quem é que ainda acredita neste clã de inergúmenos?!

Os meus parabéns a este blogue por quebrar toda esta onda de aparente repressão!

Carlos Leite disse...

Cara Joana Teixeira.
Não sei porque associou as minhas palavras a uma eventual defesa de alguém ou família, com os nomes que apontou. Não sou representante nem defensor deles, nem tenho a minha liberdade emprestada a nenhum partido politico, por isso acho infeliz esta comparação.
E independentemente da eventual, ou real discriminação que fala que foi vitima, o insulto e a ridicularização não serão por certo o melhor caminho para provar algo, ou trazer alguma justiça ao caso. E pode atribuir até um eventual sentido de direito ou justiça aos acontecimentos prévios de que foi vitima, tirando-lhe até a razão que tinha antes, ou até um eventual pretexto para outros acontecimentos futuros, que poderia vir a ser vitima. Nunca devemos agir como os fracos, e só mostrando e agindo de forma correcta, nos podemos demarcar destes. Sejamos nós actores dinamizadores desta região também neste sentido.
Obrigado CMCL

www.pensarbasto.blogspot.com

Anónimo disse...

Cara Joana não se deixe calar. denuncie estas situações nos locais próprios. É acima de tudo um dever de cidadania. Respeitosos cumprimentos.

Savimbi disse...

As principais estradas do nosso concelho estão num estado calamitoso, mas a par disso existem autênticas "auto-estradas" no que toca à qualidade do asfalto, em estradas secundárias que muitas vezes limitam-se a servir um número altamente reduzido de pessoas e habitações.

Prevejo nos próximos tempos uma forte oportunidade de negócio para os veículos todo-o-terreno :)